ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Pacto Pelotas pela Paz

GGI-M apresenta nova redução nos indicadores de violência

Levantamento atualiza os dados dos três primeiros meses do Pacto Pelotas pela Paz

Por Andressa Barbosa 14-11-2017 | 16:08:00

      Integrantes do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M) anunciaram, nesta terça-feira (14), a segunda redução nos índices de violência na cidade. O levantamento divulgado em entrevista coletiva na Prefeitura atualiza os dados dos três primeiros meses do Pacto Pelotas pela Paz. Outubro apresenta o menor índice de homicídios de 2017 e, pelo segundo mês consecutivo, há quedas nos indicadores de roubo a pedestre, de veículos, estabelecimentos comerciais, transporte público e a residências.

Fotos: Marcel Ávila 

      A prefeita Paula Mascarenhas disse que as reduções alcançadas no primeiro trimestre do Pacto correspondem a números objetivos e concretos vindos da integração entre vários órgãos, guiados por um planejamento estratégico e de inteligência. 

“Em um ano em que os índices eram crescentes, não temos como não ligar o resultado a uma mudança de conduta no trabalho policial”, afirmou.

      A transparência foi outro ponto apontado como fundamental para o sucesso do Pacto, assim como o apoio da população, que será mantida informada sobre a segurança pública periodicamente. 

“Se os guardas municipais e os policiais estão na rua é justamente para que se crie um ambiente com mais harmonia e menos violência. É um grande desafio, mas vemos que estamos no caminho certo e que esta construção precisa da sociedade”, frisou Paula.

Repressão e Prevenção devem andar juntas

      A chefe do Executivo abordou no encontro a implementação do Programa Cada Jovem Conta, no Território 1 (Região do Areal), o primeiro a inaugurar a rede de assistência social, saúde, educação, desporto e empresariado no combate à vulnerabilidade juvenil

A iniciativa identifica estudantes em situação de risco e começou a render frutos com o encaminhamento de 88 alunos para oficinas de hip-hop, dança, teatro, fotografia e outros 37 para o projeto Jovem Aprendiz.

“O Pacto tem eixos importantes que não estão tanto em evidência, como o da Tecnologia, que buscará tecnologias para uso das forças policiais, e o de Urbanismo, que incluirá elementos de segurança pública no Plano Diretor”, enfatizou a prefeita.  

      Ainda na prevenção, a Prefeitura irá ceder o material para viabilizar um galpão para os apenados do Presídio Regional de Pelotas (PRP) trabalharem na construção de tubos de concreto para uso em obras do Sanep e da Secretaria de Obras e Pavimentação (Smop) como mais uma das estratégias do Programa Segunda Chance, dedicado à ressocialização de detentos.  

      A busca por um novo modelo de humanização do sistema penitenciário, a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), gerido pelos presos e com alto potencial de recuperação também desponta entre as alternativas em discussão na área. “Se o Pacto fosse apenas de ações repressivas, não mudaríamos a realidade”, completou Paula.

Integração gera resultados

      No balanço mais recente, foi divulgado também a quantidade de armas ilegais apreendidas. As reduções alcançadas em outubro demonstram como a rede multidisciplinar formada pela união das forças de segurança e diversos setores do poder público têm potencial decisivo para reverter o crescimento das taxas de criminalidade.  

      O reforço no policiamento e na fiscalização em várias áreas com a Operações Integradas aos finais de semana, o monitoramento dos resultados pelo GGI-M (responsável por avaliar e discutir as ações estratégias) demonstram, junto ao eixo preventivo, que a mobilização do Pacto realmente pode tornar a cidade mais segura.  

      O delegado regional de Polícia Civil, Márcio Steffens, destacou a relevância da comunidade estar ciente de informações confiáveis fundamentadas por órgãos envolvidos na área, de inteligência e reunidos através de pesquisas minuciosas. 

“Esta divulgação positiva contribui para o aumento da sensação de segurança e um dos objetivos também é permitir que as pessoas façam a sua avaliação com base em dados contabilizados de forma científica”, argumentou Steffens.

       

O secretário de Transporte e Trânsito (STT), Flávio Al Alam apresentou dados importantes registrados com o trabalho de fiscalização: nos últimos 12 meses, houve uma queda de 65,11% de vítimas fatais em acidentes de trânsito no Município - 43 em 2016 contra 15, até o momento, em 2017. Os motivos desta redução podem vistos diariamente por quem circula pela cidade: são ações da Balada Segura, Controle Eletrônico de Velocidade (com radar móvel nas principais ruas e avenidas da cidade); comboios de fiscalização conjunta entre forças de segurança em ações do Pacto Pelotas pela Paz; além das blitzes diurnas nos bairros e na zona rural.

      Juntamente ao secretariado municipal, o Foro de Pelotas, a Delegacia Regional de Polícia Civil, o Comando Regional de Polícia Ostensiva Sul (CRPO Sul), a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e o Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro) estiveram representados no evento.

      Veja os marcadores do trimestre compreendido entre agosto e outubro de 2017 em comparação com o mesmo período de 2016:

Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI)

Entre agosto e setembro houve aumento de 50%.

Apesar do ano de 2017 ter a previsão de ser o ano mais violento dos últimos anos, com o maior número de homicídios, verificou-se que de setembro a outubro houve um decréscimo de 50%.

Roubo a pedestre

Entre agosto e outubro a queda foi de -47%.

No comparativo entre 2016 e 2017 a redução foi de -33%.

Números absolutos do trimestre

2017: Agosto: 346 / Setembro: 242 / Outubro:184

Roubo de veículos  

Entre agosto e outubro a queda foi de -15%.

No comparativo entre 2016 e 2017 a redução foi de -26,09%.

Números absolutos do trimestre

2017: Agosto: 20 / Setembro:17 / Outubro:17

Roubo a estabelecimento comercial e financeiro

Entre agosto e outubro a queda foi de -62,33%.

No comparativo entre 2016 e 2017 a redução foi de -75,61%.

Números absolutos do trimestre

2017: Agosto: 21 / Setembro:24 / Outubro:10

Roubo a transporte público

Entre agosto e outubro a queda foi de -13%.

No comparativo entre 2016 e 2017 a redução foi de -21%.

Números absolutos do trimestre

2017: Agosto: 22 / Setembro:25 / Outubro:19

Roubo a residência  

No comparativo com o mesmo período entre 2016 e 2017 a redução foi de -37%.

Números absolutos do trimestre

2017: Agosto: 7 / Setembro:9 / Outubro:4

Furto a residência

Entre agosto e outubro a queda foi de - 53%.

No comparativo entre 2016 e 2017 a redução foi de -70%

Números absolutos do trimestre

2017: Agosto: 48 / Setembro:51 / Outubro:23

Armas de fogo apreendidas

No comparativo entre 2015 e 2017 houve aumento de +11,3%

Números absolutos

2015: 40 / 2016: 71 / 2017: 79 (acumulado entre julho e setembro)

Elaborado por Observatório Municipal de Segurança Pública

Tags

criminalidade, violência, pacto, paz, segurança, GGI, redução

Carregando 0%